Serviços de Jardinagem, manutenção em jardim, paisagismo, limpeza de terrenos, manutenção de terrenos, manutenção de pátios.

Serviços

Limpeza e manutenção de terrenos

Somos especializados em limpeza e conservação de terrenos baldios.
Atuamos em Campinas e região. Planos mensais com custo baixo ou limpeza eventual.
Evite multa e mantenha seu terreno sempre limpo.
Controle de mato e limpeza de lixo com retirada periodica para evitar invasão, criação de mosquito da dengue ou notificação.
Limpeza de terreno e jardinagem para empresas e industrias.

Manutenção de grandes áreas

Manutenção de gramados, áreas de proteção permanente, calçadas e áreas verdes em geral em pequenas, médias e grandes empresas.

Manutenção de jardins

Manutenção de jardim, refilamento de canteiro, poda de formação, controle de pragas, corte de grama. Rapidez e seriedade no atendimento.
Serviços feitos por profissionais treinados e respeito ao cliente.

Montagem de jardins

Possuímos mão de obra especializada em montagem de jardins residenciais ou grandes composições paisagísticas.
Quando o projeto paisagístico é feito por engenheiro, arquiteto ou paisagista contratado a parte, disponibilizamos equipe para executar a montagem do jardim.

Poda e retirada de arvores

Poda de árvores com moto serra registrado. Retirada de galhos, brotos ou condução de folhagens.
Prestamos serviço de extração de árvores em áreas internas a sua propriedade, sendo área particular ou empresarial.
Serviço feito sob supervisão de engenheiro florestal, com laudo técnico aprovado pelos órgãos públicos e com projeto de compensação ambiental.

Dicas

1.Como adubar seu gramado

Recomenda-se fazer a adubação da grama menos a cada três meses para manter os níveis de nutrientes sempre disponíveis para a grama.
Conforme o tempo passa, a fertilidade do solo cai devido à perda dos nutrientes.
Após longo período de seca o gramado fica fragilizado abrindo espaço para a proliferação de pragasO primeiro passo antes do início da adubação da grama é podar a grama.
Após a poda, a grama pode ser adubada com substrato e fertilizante.
Os substratos corrigem o pH (acidez) do solo, repõem o nitrogênio e magnésio que são essenciais no desenvolvimento das plantas, além de melhorarem a capacidade de retenção da água e a aeração do solo.
A TERRA ADUBADA é ótima para manter a grama sempre bonita e saudável ajudando na manutenção e recuperação de gramados.
A TERRA ADUBADA pode ser usada também para cobrir a grama bastando espalhar por todo o gramado. Este processo é recomendado para ser realizado pelo menos uma vez por ano e de preferência no início do inverno.
A grama deve ser regada abundantemente, principalmente nos primeiros 30 dias.
Os adubos existem no mercado dois principais tipos de adubos: o químico e o orgânico.
Os adubos orgânicos são aqueles formados pela decomposição de matéria de origem animal ou vegetal tais como o esterco, farinhas, bagaços, cascas e restos de vegetais, que podem ser produzido pelo home por meio de compostagem. Já o adubo químico, conhecido também como adubo inorgânico, são adubos obtidos a partir da extração mineral ou refino do petróleo, tais como os fosfatos, carbonatos, cloretos e o salitre.

2.Como regar o jardim corretamente

Água, Luz e AdubaçãoOs três elementos mais importantes para ter um bom jardim
A água é um dos três elemento mais importantes para a qualidade das plantas e a beleza do jardim e o seu uso exige equilíbrio. A falta e o excesso de rega são as principais causas de morte ou adoecimento de plantas.
Sabia também que as plantas têm mais defesas contra a falta de água do que contra o excesso? Na seca, elas fecham as folhas ou criam pelos e espinhos. Quando são regadas demais, não conseguem reverter a ação de absorver água. Água em excesso dificulta a oxigenação das raízes, apodrecendo-as.

Seguem algumas dicas importantes para a rega correta:

1. Regar sempre de manhã. Seja um jardim de flores ou de vegetais, a melhor hora do dia para regar é sempre de manhã. Se regar a meio do dia ou de tarde, será como não tivesse regado porque a água irá evaporar rápida e completamente. Se regar à noite, a água mantém-se sobre as plantas e folhas durante muitas horas, o que pode levar à formação de doenças.

2. Regar sempre que for necessário. Observe suas plantas, leve em conta o período do ano, vento e sol. Não é necessário molhar todos os dias o ano todo. Quando chove o efeito da água no solo se prolonga para mais 1 ou 2 dias. Se a planta apresentar um aspecto murcho, ou se a folha enrolar e afinar, significa que está faltando umidade. Coloque a mão na terra, se estiver fina e seca regue, se estiver úmida, pode espaçar um pouco mais a rega.

3. Regar sempre próximo do solo. A forma mais eficaz de garantir um solo húmido é regar junto do mesmo, ou seja, em vez de espalhar água de forma superficial, na hora de regar posicione a mangueira ou o regador junto da terra. Não regue diretamente nas folhas, principalmente se o sol já estiver forte. A incidência do sol sobre as gotas de água causam o efeito de uma lupa e queimam a planta.

4. Regar sempre menos vezes, mas de forma profunda. Uma boa rega não deve ser medida em termos de quantidade, mas sim de profundidade. Ao regar sempre próximo do solo estará garantindo uma rega em profundidade, o que assegura de forma mais eficaz os níveis de humidade necessários a um solo saudável, ao contrário de uma rega mais superficial, onde a água pode facilmente evaporar. Não basta espalhar algumas gotas de água sobre o solo, isso causa um efeito negativo e dá a falsa impressão às pessoas de que o jardim foi regado, enquanto as plantas continuam sem água.

3.Petúnia Pendente

A petútia é uma herbácea perene originária da América do Sul, de 20 a 30 cm de altura e ramos longos. Mantem flores durante quase todo ano

É cultivada a pleno sol, em vasos e jardineiras como pendentes, mas também aplicado como forração. Deve ser bem estercado e, apesar de perene, os canteiros devem ser renovados anualmente com novo plantio de mudas, devidamente adubado. Aprecia o frio, mas pode ser cultivada em regiões mais quentes.

4.Tulipa, uma das mais belas flores

Esta planta revela feições e colorações múltiplas. Hoje há inúmeros espécimes e incalculáveis híbridos em variadas cores, tonalidades coloridas e outros apresentando extremidades com diversos picotes. Seu bulbo, na verdade um falso órgão, porque o verdadeiro, em um vegetal, está abaixo da terra, possui uma substância com propriedades alcalinas que, ao ser manuseada, libera um pó que pode desencadear rinites e até crises asmáticas.

Este vegetal não se adapta muito bem às temperaturas do Brasil. Mas pode-se estimular a tulipa a produzir pelo menos mais uma leva de flores ao se recriar, no solo brasileiro, o clima de seu recanto natural. As condições de cultivo neste país levam os especialistas a recomendar ao consumidor que, ao comprar um vaso destas flores, opte pelas que estão em botão, o que permitirá a ele aproveitar por mais tempo suas qualidades.

Além disso, a planta deve ser preservada em um canto luminoso e no qual a temperatura permaneça amena; vento e sol intenso são adversários das tulipas. Algumas pessoas chegam a depositar gelo sobre a terra contida no vaso, pelo menos duas vezes ao dia, para reduzir o calor.

Uma tulipa dura aproximadamente dez dias. O ideal é que, após a perda do frescor das flores, elas sejam aparadas junto com a folhagem. Os bulbos, livres de impurezas e conservados em temperatura amena por mais ou menos três meses, sem jamais serem expostos a superfícies líquidas, devem ser plantados novamente em outro vaso, com terra vegetal úmida. Recomenda-se que este recipiente seja envolto em plástico e armazenado no freezer por seis meses, em uma temperatura que oscile entre 2 e 5 °C.

Depois deste período, o vaso deve ser retirado da geladeira e abrigado em um recanto fresco e luminoso por mais dois meses, com a terra constantemente umedecida. Então se repete a permanência no congelador, pelo mesmo período, quando retorna ao local ameno; a flor brotará novamente entre trinta a cinquenta dias.

5.Árvores floridas no jardim

Árvores floridas são muito importantes para o paisagismo.
Além de colorir o jardim, proporcionam sombra, refrescam o ambiente e formam belos tapetes ao deixarem as pétalas cair.

6.Como cuidar do jardim na primavera

Na primavera, chove mais, a temperatura aumenta e o dia fica mais longo. Esses fatores aceleram o crescimento das plantas e flores, tornando-as mais exuberantes. Para usufruir de toda essa beleza, alguns cuidados são necessários, como:

Adubação: como o desenvolvimento das plantas aumenta bastante, a exigência de nutrientes é maior, fazendo-se necessária a aplicação de adubos.

Poda: A poda estimula a formação de brotos, por isso, aproveite este período para eliminar os galhos velhos e doentes e estimular brotos saudáveis e bonitos.

Irrigação: Durante o inverno a irrigação é diferente, em regiões como São Paulo não chove, já no Sul o período é mais umido então, com a entrada da primavera deve-se verificar o sistema de irrigação, reprogramar ou alternar os dias. Quem faz irrigação manual deve observar a umidade da terra diariamente. Irrigação não é uma matemática exata, varia conforme o tipo de planta, o sol e a umidade do ar.

Um bonito jardim tem que ser florido, bem cuidado, com a grama bem aparada e livre de pragas. O custo de manutenção de um jardim é infinitamente baixo, se comparado ao bem-estar que nos proporciona, portanto, se você quer ter um belo jardim, faça manutenção periódica você mesmo ou contrate um jardineiro com visitas de intervalo de 30 dias, no máximo.

7.Primavera, bonita e de aplicação variada

Arbusto lenhoso, nativo do Leste e Nordeste do Brasil, de florescimento espetacular. Esta espécie foi intensamente melhorada e hoje se apresenta em diversas cores como vinho, laranja, branca e rosa

É geralmente cultivada a pleno sol, como trepadeira, para revestir portais, caramanchões ou pergolados, cercas e até em vasos.

8.Comida saudável para sua família.

Use a Criatividade na cozinha para poder fazer seu filho comer melhor, faça combinações e novos preparos com a comida!

Segue algumas dicas:

– Faça pasta de ricota com vegetais picados em pedaços bem pequenos e ofereça com bolachas salgadas no lanche da manhã ou da tarde.

– Prepare misturas inusitadas. Cozinhe legumes junto com o feijão, coloque farelo de aveia no purê, couve-flor no arroz e misture purê de abóbora com o de batata.

– Ele não gosta muito de salada? Misture os ingredientes com legumes cozidos ou coloque alface picada e cenoura ralada na papinha.

– Para comer com as mãos: cenoura cortada em palito, batata-doce em rodela, talo do brócolis cozido com um pouco de azeite ou o bulbo da erva-doce.

– Você conhece a farinha de banana verde? Ela ajuda no funcionamento do intestino e pode ser usada junto com a de trigo. Na receita, use metade de cada tipo.

– Em vez de colocar uma xícara de óleo na massa da torta, ponha apenas metade e acrescente duas colheres de sopa de linhaça, rica em gordura poli-insaturada. Essa gordura é importante para o desenvolvimento da criança, e ajuda a diminuir o colesterol no sangue.

9.Como fazer arranjo de flores em casa

Um arranjo de flores montado por você, tende a ficar muito mais bonito do que aquele comprado pronto. Para fazer seu arranjo, passe cedo em uma floricultura, ou encomende com antecedência os maços que pretende utilizar. Utilize como vaso, um copo de vidro, uma garrafa de suco ou vinho vazia ou outra vasilha de vidro ou porcelana, ao seu gosto.

Flores do campo são utilizadas em arranjos mais descontraídos ou rústicos
Eventos formais pedem arranjos mais clássicos, com flores nobres, como orquídeas, íris, lírios e lisiantos
Em ocasiões de gala, as flores mais indicadas são as helicônias e os antúrios, cujas formas marcantes provocam efeitos fortes
Para fazer arranjos aromáticos, misture alguns galhos de ervas aromáticas como louro, tomilho ou alecrim.

Monte seu arranjo e poste em nossa página do Facebook. ( LINK COM PAGINA DO FACEBOOK )

10.Propriedades medicinais do agrião

AGRIÃO

O agrião, além de ser uma saborosa salada verde, pode ser utilizado na medicina natural.
É excelente expectorante, contra tosse, catarro no peito e bronquite.
Pode ser usado cru, na salada, em forma de chá ou xarope.
Com 1 maço de agrião, 100 ml de água, duas colheres de mel, um dente de alho e uma colher de chá de gengibre pode-se fazer um poderoso xarope para limpar o pulmão e curar a gripe.
Mulheres grávidas não devem comer agrião em grande quantidade, pois pode provocar o aborto.

11.Flores que atraem borboletas

Flores perfumadas e que possuem néctar atraem borboletas. Seguem alguns exemplos mais populares:

Cambará, Maracujá, Cravo de Defunto, Girassol, Verbena, Agerato, Lavanda, Hibisco, Brinco de princesa, Camarão Amarelo, Sálvia.

12.Como plantar uma árvore

Antes de plantar sua muda, é necessário saber qual o melhor local para ela.
Algumas espécies, em seu habitat natural, não aceitam sol, enquanto outras, não aceitam sombra. Algumas tem preferências por locais úmidos, enquanto outras por locais áridos.
Para você saber a preferência de cada espécie, vá até a nossa lista de espécies e aprenda tudo sobre a árvore que deseja plantar.

O sucesso do plantio está muito mais ligado às condições de Luz, Umidade e Solo, do que à técnica aplicada no momento do plantio.
Porém, alguma regras devem ser respeitadas na hora de plantar.

Espaçamento
– Deve-se fazer as covas com um espaçamento de no mínimo, 3m entre elas. Isso é para respeitar o crescimento das copas.

Tamanho da cova
Varia de acordo com o tamanho da muda. Para mudas acima de 1,80m:
– 60cm de profundidade
– Caso o solo estiver fofo, 60cm largura.
– Caso o solo estiver muito compacto, faça uma cova cônica de 1m na superfície, 50cm no fundo.
Adubação
A adubação pode variar com a espécie. O importante a observar é que a adubação no momento do plantio, serve para que a muda enraíze mais facilmente no novo local.
– 100g de NPK (04-14-08 ou 10-10-10)
– 300g de calcário
– 300g de super Fosfato Simples ou Kg de Fosfato de Araxá
– 20 litros de esterco de gado, curtido, ou de composto orgânico; ou 7 litros de esterco de galinha ou de húmus de minhoca.

Preparo da cova
– Pulverizar 1/3 (100g) de calcário nas laterais e fundo da cova.
– Misturar o restante do calcário e os adubos à terra da própria cova ou, se preferir, substitui-la por terra vegetal.

Plantio
– Retirar a embalagem da muda com cuidado para não desmanchar o torrão
– Cobrir o fundo da cova com terra misturada até que o torrão fique nivelado com o chão.
– Colocar a muda dentro da cova, bem na vertical, observando a altura do torrão com relação ao solo.
– Colocar uma estaca de madeira de 2,50m de altura rente à muda. Afundar até o fundo da cova. – Completar a cova com terra misturada e pisar a terra em volta da muda para firmá-la no chão, de forma a não cobrir o caule com terra.
– Fazer uma vala em torno da muda, com o mesmo tamanho da cova, para captar água
– Regar abundantemente mas sem encharcar.
Amarração
– Amarrar a muda à estaca com: borracha, sisal ou outro material que não fira o caule da muda (Nunca utilize arame !).
– A amarração pode ser feita em forma de oito deitado, como mostra a figura ao lado.
Cuidados posteriores
– Se a muda for plantada em local sujeito a depredação, colocar grade de proteção
– caso não chova, faça irrigação de 4 em 4 dias com aproximadamente 20 litros de água

13.Como plantar uma roseira

Geralmente, nos meses mais frios do ano, e quando as roseiras se encontram num estado “dormente”, devem ser podadas de forma a permitir que a planta se desenvolva com a sua força dirigida a um crescimento correto e que a ajude a produzir flores de qualidade. A maioria das plantas precisam ser podadas, mas no caso das roseiras, a poda torna-se muito importante para o correto desenvolvimento das mesmas. No Brasil, costuma-se podar no minguante de julho ou agosto.

Em termos gerais, a época da poda da roseira será no início da estação de crescimento, a Primavera. Normalmente a primeira poda deverá ser feita um ano após ter sido plantada – a dita poda de formação, que vai orientar a estrutura da roseira. Após esta primeira modelagem da planta, deverá ser feita a limpeza anual da roseira onde a poda vai eliminar os ramos danificados, quebrados, ou com pragas que, se deixados permanecer, enfraqueceriam a planta, retirando força aos ramos saudáveis que têm o potencial de dar flores com mais qualidade.

A fase da Lua deverá ser minguante pois, embora não esteja provado, diz-se que é mais favorável para as plantas fazer a poda nesta fase lunar.

A poda das roseiras vai sempre depender da espécie em questão (será diferente se se tratar de um arbusto ou de uma trepadeira) e terá duas funções: modelar e revitalizar a planta.

Existem três tipos de poda a ter em consideração com respeito às roseiras:

Poda Baixa: Faça primeiro uma limpeza da roseira, retirando os ramos secos, fracos e mal formados. De seguida corte todas os ramos, deixando-os a uma altura de 20 a 25cm (a partir do ponto de enxerto). Corte sempre em diagonal aproximadamente 1cm acima da gema mais próxima. Isto ajudará o brotamento. Ideal para rosas-rasteiras, rosas “Santa Teresinha” ou miniaturas.

Poda Alta: Faça uma limpeza à planta da mesma forma que na poda baixa e corte os ramos a uma altura de 80cm a 1 metro. As hastes mais fortes podem ficar um pouco mais longas, mas procure que a roseira fique a uma altura adequada ao lugar onde está situada. Este tipo de poda é dirigida a roseiras em arbusto e trepadeiras, embora não precise de ser tão drástico no último caso.

Poda Parcial: Faça a mesma limpeza como nos casos anteriores e em seguida pode as hastes para um terço do seu comprimento total. Esta poda é mais adequada a roseiras silvestres e trepadeiras cujas hastes alcancem 3 metros de comprimento ou mais. É muito importante que deixe as hastes presas ao tutor de modo a que haja um brotamento das gemas.

É sempre importante fertilizar uma planta depois da poda, para permitir que se alimente de forma a alcançar o seu potencial nas condições em que se encontra.

O Corte Correto deve podar as hastes sempre na diagonal e a poucos milímetros da gema mais próxima.
Agende um orçamento: 19 97408-9705 – Ivair Gasperin

14.Como fazer uma horta orgânica em casa

Se você mora na cidade, mas gosta de mexer com a terra, quer comer legumes e verduras livres de agrotóxicos faça uma horta no quintal de sua casa.

Passo a passo:

1. Revolver o solo com enxada ou pá, deixando a terra bem solta e fofa;

2. Misturar o composto orgânico (Substrato, humos e restos de folhas ou grama cortada)

3. Deixar o canteiro de 15 a 20 centímetros acima do nível do terreno;

4. A largura do canteiro deve ser do tamanho que você alcance o meio com a mão, para plantar, dar manutenção e colher.

5. Marcar os espaçamentos (exemplo: os pés de alface devem ficar a dois palmos um do outro);

6. Posicionar as mudas de maneira intercalada, em forma de triângulo, para evitar a erosão;

7. Misturar as sementes com areia e espalhar com a mão sobre o canteiro de maneira mais uniforme possível; Se for plantar as mudinhas basta fazer um pequeno buraco com o dedo, colocar a muda e apertar a base, o torrão deve ficar bem firme. E molhar bem no primeiro dia8. Regar pelo menos uma vez ao dia. Em regiões quentes, duas vezes ao dia até as mudas emergirem. Regar nas horas frescas, de preferência pela manhã.

Orientamos e montamos a horta para você: 19 97408-9705 – Ivair Gasperin

15.Como fazer uma horta em apartamento

Para montar uma horta em espaços pequenos, como apartamentos, prefira os vasos.
Eles podem ser de qualquer tamanho, apenas assegure-se de só plantar espécies que irão se adaptar ao local.
É importante que o local onde vai ser instalada a horta receba sol, pelo menos na parte da manhã.

Passo a passo:

1. Escolha um vaso ou floreira com furos;

2. Coloque no fundo um pouco de pedra brita ou caco de telha, para a drenagem;

3. Coloque uma mistura de duas partes de terra, uma parte de composto orgânico (Resto de grama, folhas secas ou compostagem feita com sobra de comida) e uma parte de húmus ou esterco de gado curtido até a borda do vaso;

4. Espalhe um pouco de areia para evitar a sujeira.

5. Plante. Você pode plantar sementes ou mudas. Hortaliças como cenoura, beterraba, rabanete e verduras como rúcula, agrião da terra e couve e salsa nascem bem quando plantados com sementes. Se for plantar alface e cebolinha, prefira as mudas. As mudas podem ser encontradas em casas agropecuárias de bairros mais afastados do centro.6. Rege pelo menos uma vez por dia, de preferencia pela manhã.

7. Orientamos e montamos a horta para você.

16. Como fazer compostagem, mesmo em pequenos apartamentos

A compostagem é uma técnica milenar, praticada pelos chineses há mais de cinco mil anos. Nada muito diferente do que natureza faz há bilhões de anos desde que surgiram os primeiros microorganismos decompositores. Seguindo o exemplo da floresta, onde observamos que cada resíduo, seja ele de origem animal ou vegetal, é reaproveitado pelo ecossistema como fonte de nutrientes para as plantas que, em última análise, são o sustentáculo da vida terrestre.

Pois bem, quando procedemos com a compostagem estamos seguindo as regras da natureza e destinando corretamente nossos resíduos. Tradicionalmente a compostagem é vista como uma prática usual em propriedades rurais e centrais de reciclagem de resíduos. No primeiro caso é uma estratégia do agricultor para transformar os resíduos agrícolas em adubos essenciais para a prática da agricultura orgânica. No segundo é uma necessidade administrativa, que tem a intenção de diminuir ovolume do material a ser gerenciado além de estabilizar um material poluente.

No espaço urbano existe a crença de que lixo deve ser recolhido pela prefeitura e despejado em algum local onde possa feder e sujar a vontade. Esta realidade perversa está sendo mudada, graças às ações práticas de alguns municípios e pelos avanços nas leis e normas ambientais em nosso país. Mas o que nós cidadãos podemos fazer em nossas casas para colaborar neste processo?

Uma coisa muito boa que podemos fazer em nossas casas e apartamentos é a compostagem. Diferentemente dos agricultores que precisam de adubos para os seus cultivos ou das prefeituras que precisam se livrar desse resíduos; nós em casa podemos começar simplesmente tentando diminuir a quantidade de lixo orgânico emitido para a prefeitura. É claro que só é possível isto em casas onde o lixo é separado. Entre os muitos modelos de composteira existentes, destacamos os engradados de pvc (lembra das caixas plásticas usadas em supermercados para o transporte das compras?). Com dois ou três engradados podemos montar uma sistema de compostagem bem eficiente e que não ocupa muito espaço.

Vamos ver isto passo-a-passo:

1. Forre por dentro um engradado de pvc (destes que usamos para carregar as compras no supermercado) com uma camada espessa de jornal bem úmido, mais ou menos 6 ou 8 folhas. Depois de acomodar estas folhas de jornal faça furos no fundo.

2. Preencha o fundo deste engradado com composto já pronto e com minhocas. Faça uma camada de mais ou menos 10 cm de espessura. Nos supermercados e em floriculturas encontramos um produto genericamente chamado de húmus de minhoca. Um bom húmus sempre tem alguns ovos e filhotes de minhoca que sobrevivem ao peneiramento e à embalagem.

3. Escolha no seu lixo orgânico algumas porções de cascas de frutas ou folhas de verduras, não muito.

4. Enterre este material no composto. Isto vai servir para avaliar a quantidade de minhocas que existe neste material, já que elas serão atraídas pela comida (lixo orgânico).

5. Cubra tudo com mais uma camada de jornal úmido. O jornal tem que estar sempre úmido, caso contrario roubará água do material que esta sendo compostado e este não ficará pronto em poucas semanas.

6. Providencie uma tampa para o seu composto. Isto evitará a proliferação de moscas e baratas além de servir de barreira para um eventual rato.

7. Agora uma parte bem importante! Observe por alguns dias quanto tempo as pequenas minhocas levam para comer uma determinada quantidade de lixo orgânico. Esta é a capacidade de reciclagem da sua composteira. À medida que as minhocas vão crescendo e se reproduzindo o consumo de resíduo orgânico vai aumentando. Uma minhoca vermelha do composto (Eisenia foetida) pode comer o próprio peso em um único dia, além disso com apenas três meses elas já estão se reproduzindo, podendo depositar um casulo a cada semana. Cada casulo desses pode gerar de quatro a doze pequenas minhocas que já nascem prontas para comer muito pelo resto da vida. Uma composteira doméstica pode ser considerada eficiente quando os resíduos orgânicos somem totalmente em menos de duas semanas. Outra técnica muito usada por jardineiros experientes para avaliar um composto é a quantidade de ruídos que este pode produzir. Difícil de acreditar? Então experimente, quando seu composto estiver produzindo um pequeno ruído que lembra um líquido escorrendo é sinal de que as minhocas estão trabalhando a todo vapor. Daí para a frente é um processo contínuo e crescente. O que fazer quando a composteira está cheia.

8. O que acontece com as composteiras domésticas é que elas sempre têm uma quantidade de material pronto, uma parcela de material em processo de decomposição e uma porção diária de lixo orgânico ainda fresco. Isto dificulta bastante a coleta do material que já está pronto para o uso. Para este problema temos uma solução. Veja a seguir:

9. Um engradado composteira vai sendo lentamente preenchido e as minhocas vão comendo e reciclando material de baixo para cima. Bem, um dia nosso engradado estará completamente cheio, com material já reciclado no fundo e lixo fresco junto à superfície. Isto é inevitável, mas uma maneira de contornar este problema é simplesmente forrar as laterais de um novo engradado e empilhar sobre o primeiro. Assim, dê continuidade ao processo colocando uma porção do composto cheio de minhocas no fundo do segundo engradado e siga o processo normalmente. Desta forma as minhocas continuarão trabalhando no sentido vertical e em algumas semanas a sua primeira caixa estará completamente reciclada e você terá mais ou menos 25 Kg de adubo orgânico de primeiríssima qualidade. Onde colocar a composteira.

10. A composteira de engradados de pvc não deve ser colocada em locais sem ventilação. Não devemos desperdiçar locais ensolarados com a comnpostagem que dispensa a luz solar; as plantas sim precisam dela. Os engradados de lixo compostagem devem ser colocados sobre um suporte que pode ser desde de um simples e pouco eficiente jornal, até bandejas ou caixas que possam coletar e canalizar o chorume (líquido que escorre do composto) completamente. Um bom composto deve produzir muito pouco ou nenhum chorume. Mas quando regamos o composto no verão isto é inevitável. Por garantia podemos acomodar nossos engradados sobre uma bandeja plástica, de metal ou de madeira, de pelo menos 5 centímetros cheia.

11. Sofisticando um pouco mais podemos construir um suporte de concreto ou tijolos e cimento que tenha pelo menos 40 centímetros de altura e onde possamos encaixar os engradados. Devemos cuidar para tenha um dreno (furo) no fundo e então podemos preencher metade da altura com carvão vegetal (aquele que compramos para fazer churrasco) elogo por cima despejamos a mesma quantidade de brita, e por cima da brita acomodamos os engradados. Desta forma o eventual chorume escorre pela brita até a camada de carvão onde é desodorizado e ligeiramente filtrado. Evitando sujeira na sacada ou na área de serviço. Para composteiras feitas diretamente na terra este problema praticamente não existe já que o solo absorve o chorume.

O que pode ser compostado e como usar o composto gerado:

12. Praticamente qualquer coisa orgânica é passível de compostagem. Preferencialmente devemos usar os resíduos orgânicos vegetais crus gerados em nossa cozinha, os restos de comida podem e devem ser compostados, porém devemos lembrar que o sal pode diminuir a qualidade de nosso composto tornando-o mais salino do que o conveniente. Pensando ecologicamente o certo é não termos restos de comida, um pouco de organização pode evitar desperdícios e viabilizar a prática da compostagem domiciliar de forma totalmente eficiente. Mas quando não conseguimos comer tudo o que preparamos o destino mais adequado para os restos de comida é a composteira. Ossos podem ser compostados, principalmente os cozidos. Já a carne crua não é o melhor material pois pode cheirar mal dentro da omposteira. O jornal e outros papeis velhos podem ser usados sem problemas, mas devemos lembrar que o jornal limpo se presta muito mais para a reciclagem (fabricação de um novo papel) do que para a compostagem. Então devemos usá-lo com sabedoria.

13. A compostagem de resíduos sanitários (papel higiênico, fraldas, absorventes,…) fica reservada para experts em compostagem, quem sabe um dia!

14. Após o composto estar pronto você pode usá-lo em suas flores, folhagens, hortaliças e temperos. Aplique de acordo com a necessidade de cada espécie de planta. Samambaias em geral e folhagens tropicais gostam de doses bem fartas de composto, algo em torno de um quarto do volume do vaso ou da floreira. Devemos repor um pouco de composto na superfície a cada estação, e depois de um ou dois anos é melhor refazer tudo (esta recomendação não vale para todas as plantas). Em gramados podemos usar até cinco quilos por metro quadrado no final do inverno e nas violetas no início de cada estação devemos aplicar na superfície da terra uma colher de sopa bem cheia de composto misturada com uma colher de cafezinho, de farinha de osso (faça a sua com cascas de ovo ou compre uma de boa qualidade). Vale lembrar que plantas aromáticas gostam de solos bem drenados e com pouco composto (use a farinha de osso nestas plantas também).

Ensine para as crianças e também para seus amigos que a compostagem domiciliar é uma continuidade da separação do lixo, e coopera com a coleta seletiva para a diminuição dos aterros sanitários e lixões. No composto as crianças poderão aprender muitas coisas sobre a natureza com os muitos tipos de pequenos animais e fungos que surgirão junto com as minhocas. Os ácaros, tatuzinhos, besouros, pequenas aranhas e tantos outros animais do composto são essenciais para este processo, eles formam um pequeno ecossistema que vai se equilibrando com o tempo. Até as formigas ajudam quando não estão em excesso. Como podemos ver a compostagem é uma prática interessante, viável na maioria dos espaços, e (por que não dizer?) um ato de cidadania, especialmente quando fazemos isto pensando em todo o nosso lixo orgânico que ao invés de feder e poluir vai gerar mais verde e mais vida. Não é incrível termos um pequeno ecossistema dentro de casa? Boa sorte!

Envie-nos uma mensagem!